Pesquisa vai mapear cargos e salários nas agências digitais brasileiras

Desenvolvido por entidade que representa as companhias do setor, projeto tem o objetivo de dar parâmetros ao mercado de internet no Brasil.

A Associação Brasileira de Agências Digitais (Abradi) vai iniciar nos próximos dias uma pesquisa sobre cargos e salários no mercado de internet. O estudo será feito com os 120 afiliados da entidade, que tem atuação nacional e foi criada em março deste ano. A expectativa é de que o projeto esteja em pronto até o final de outubro.

A pesquisa quer proporcionar um maior conhecimento sobre o trabalho desenvolvido pelas agências digitais no Brasil. Com informações pormenorizadas sobre as políticas salariais e de carreira, as próprias empresas do setor terão novos parâmetros para definição de suas estratégias, acredita a Abradi.

Pioneiro do gênero no setor digital do Brasil, o estudo sobre cargos e salários é  o segundo projeto da associação para mapear esse mercado.

A primeira pesquisa, apresentada há poucos dias, teve o objetivo de  mensurar os negócios ligados à internet. Realizado por questionário, respondido pela rede durante o mês de junho pelas agências digitais associadas, o Censo Digital aponta que o mercado brasileiro de web conta com 2.275 agências digitais, que faturam 755,3 milhões de reais e empregam 20,8 mil funcionários.

Pulverização

Trata-se de um mercado fase de maturação, com 56,6% das agências criadas há mais de seis anos. A pulverização também é uma marca do setor, com 66,3% das empresas consultadas responsáveis por empregar até 20 funcionários. Em média, cada agência emprega 25 funcionários, segundo o Censo Digital.

Outro indício da pulverização aparece nos faturamentos das agências brasileiras: 64,4% delas têm receita de até 1,2 milhão de reais por ano, enquanto apenas 10% do mercado apresenta faturamento anual acima dos 5 milhões de reais.

A região Sudeste é a maior empregadora, com 58,1% das agências localizadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. O Sul aparece na segunda posição (15,7%), seguido pelo Nordeste (14,4%). Centro-Oeste (7,7%) e Norte (4,1%) fecham a lista.

O principal serviço realizado pelas agências é o desenvolvimento de websites (11,3%), seguido por programação (10%), criação de campanhas (9,3%), consultoria e divulgações por e-mail (empatadas com 8,5%).

O Censo Digital feito pela Abradi indica que o foco das agências digitais no Brasil ainda passa longe do desenvolvimento de games ou de campanhas móveis de publicidade – nas últimas colocações, essas atividades atingem 3,4% e 4,6%, respectivamente, do setor.

Fonte: ITWeb

Post Author: Angelo M. Rodrigues

Desenvolvedor, Músico (nas horas vagas) e entusiasta de tecnologia. Trabalha com Tecnologias Web desde 1998, passando por diversos tipos de projetos nas áreas de distribuição, fabricação, financeira, comércio eletrônico, ERPs, entre outros.

Deixe uma resposta