CSC contratará 700 profissionais nos próximos 14 meses

Ampliação do time dobra a estrutura local

A compra da BearingPoint Brasil animou a CSC. O presidente de vendas e marketing global da companhia norte-americana, David Booth, veio ao País anunciar os próximos passos da empresa em solo nacional. A meta é fazer a operação local crescer consideravelmente e, para suportar essa evolução, a provedora pretende contratar 700 funcionários nos próximos 14 meses, dobrando a estrutura.

A aquisição ampliou presença da americana e reforçou a oferta de outsourcing de infraestrutura ao portfólio da brasileira. Segundo o executivo, o objetivo é fazer da operação nacional um centro para prover serviços a clientes ao redor do mundo. O Brasil é considerado um ponto interessante de near shore, terceirização provida para empresas de regiões próximas, geralmente, no mesmo fuso horário.

Pelas contas de Adriano Giudici, que atuava como presidente da BearingPoint Brasil e que agora ocupa o mesmo cargo na subsidiária nacional da CSC, já foram identificados 50 clientes globais da norte-americana passíveis de serem atendidos localmente. Além disso, empresa traz para a carteira aproximadamente 30 clientes ativos vindos dos tempos da BearingPoint.

A orientação é fechar contratos com grandes empresas. O executivo não detalha uma meta quanto ao número de clientes almejados no curto e médio prazos. Segundo Giudice, desde o anúncio da aquisição – no início de julho – a demanda de negócios se manteve constante.

No ano fiscal encerrado em abril de 2009, a CSC faturou US$ 16,7 bilhões. A região Américas, responde por 21% desse resultado. Globalmente, o setor público significa 40% das receitas da companhia. As verticais de finanças (17%), manufatura (15%), consumo (15%), saúde (7%) e química e energia (6%) completam a divisão do faturamento. No primeiro trimestre fiscal de 2010, a provedora observou redução de 6,2% nas receitas, de US$ 4,4 bilhões (verificados no ano anterior) para US$ 3,9 bilhões.

Em fevereiro a BearingPoint entrou com pedido de concordata nos Estados Unidos. A medida marcou o início de movimentos de vendas das operações da empresa ao redor do mundo. Em junho, a PricewaterhouseCoopers (PwC) desembolsou US$ 44 milhões na compra de grande parte da divisão de serviços comerciais para América do Norte da BearingPoint. O acordo previa ainda a incorporação do centro de entrega global, situado em Xangai, China.

Fonte:  ITWeb

Post Author: Angelo M. Rodrigues

Desenvolvedor, Músico (nas horas vagas) e entusiasta de tecnologia. Trabalha com Tecnologias Web desde 1998, passando por diversos tipos de projetos nas áreas de distribuição, fabricação, financeira, comércio eletrônico, ERPs, entre outros.

Deixe uma resposta