Mercado e o profissional de TI – Zona de Conforto… Cuidado!

A IDC Brasil divulgou uma pesquisa que aponta um crescimento da nossa área de TI interna de quase o dobro que a média mundial. Isso é um alento para todos, pois demonstra não só que a nossa economia continua aquecida como também que as empresas estão sentindo que a TI faz a diferença no mercado.

Empresas com uma área de TI forte, saem na frente em concorrências e obtêm maior agilidade em seus processos. Com isso a TI está ocupando um lugar de maior destaque no planejamento estratégico das empresas.  Isto se traduz que a empregabilidade de todos, pelo menos por enquanto, está alta.  Mesmo com tudo isso, surge um fantasma que aparentemente se mostra inofensivo, mas pode se transformar em uma temida ameaça futura: a chamada “zona de conforto”.

Para quem ainda não foi apresentada a ela, podemos dizer que é traiçoeira, pois através de uma falsa tranqüilidade, te deixa descansado demais, a ponto de esquecer que o mundo roda e às vezes estamos em cima e por vezes abaixo. Também não tem preconceito, novatos e experientes, estão sujeitos a ela. O profissional de TI, como todos os demais profissionais, são elegíveis para ela. Emprego estável, bom salário, boa empresa, isso não pode deixar o profissional de TI ( vamos dar uma maior enfoque em nossa área )se acomodar. As situações mudam a cada dia e sem dar muito aviso.

O mercado é muito instável, as configurações econômicas mundiais se alteram da noite para o dia. Ontem mesmo, os países que estavam debaixo de regimes ditatoriais estavam calmos, porém vejam que tudo mudou da noite para o dia. Como é o caso do Egito, um dos principais exportadores de frango do Brasil, está com a iminência de uma guerra civil, logo as relações comerciais com o Brasil poderão sofrer e terão efeitos percebidos internamente não só na queda de vendas de carnes frango, mas também na de boi além de minério e açúcar, principalmente em São Paulo e Paraná. Isto poderá mexer em nosso bolso e conseqüentemente com todo o mercado, inclusive o nosso de “tabela”. Pois empresas destes produtos que possuem áreas de TI, podem demitir por causa de prejuízos oriundos deste fato. Diante disso, o profissional, deve estar sempre atualizado e preparado para as demandas de mercado, não se desculpar que a empresa não “paga” cursos  e por isso não vai se atualizar, pois o problema é da empresa e não dele. Pelo contrário: se a empresa te demitir ou falir por problemas de mercado, quem irá sofrer as conseqüências será o profissional e em um mercado tão competitivo como o nosso, a realocação será difícil.

Do analista ao gestor, a ordem é estar “antenado” as mudanças globais e de nossa área e deve estar sempre disposto a aprender e a matar um leão por dia. O mercado diz a música e cabe a nós dançar no ritmo certo. Não entre na “zona de conforto” pois ela pode acabar com você.

Fonte: Artigo do Luiz Eduardo Improta no site TI Especialistas

Post Author: Angelo M. Rodrigues

Desenvolvedor, Músico (nas horas vagas) e entusiasta de tecnologia. Trabalha com Tecnologias Web desde 1998, passando por diversos tipos de projetos nas áreas de distribuição, fabricação, financeira, comércio eletrônico, ERPs, entre outros.

Deixe uma resposta